CAMPEÃO NACIONAL de Arlequim Português

Espaço dedicado ao Canário Arlequim Português, desde as nossas Criações, ás Exposições e ao Futuro desta jovem Raça.

Telemóvel: 968 094 048 / e-mail: goncaloferreira.canarios@gmail.com

março 30, 2010

Problemas Reprodutivos

"Todo criador tem alguns casais que simplesmente não se reproduzem durante a estação adequada.

Por que são estes casais inativos?

As causas são razoavelmente numerosas.

Há uma suposição óbvia que um ou ambos os membros deste casal é demasiado jovem ou tem algum problema reprodutivo.

O que acontece exatamente quando um pássaro se reproduz em determinada circunstância e não em outra e quais são os estímulos envolvidos nesse processo?

As hormonas, substâncias químicas produzidas pelas glândulas e liberadas na corrente sanguínea, são responsáveis pelo controle de inúmeras funções do organismo, dentre elas, a reprodução.

Uma das principais glândulas envolvidas neste processo é a hipófise, situada no cérebro e que controla o funcionamento das gônadas (ovários e testículos).

Particularidades de cada Sexo

Alteração das Fêmeas

A infertilidade de uma fêmea geralmente traduz-se pela falta de postura, mas há alguns raros casos de ovos inférteis.

Neste último caso, o acasalamento sucessivo com três machos diferentes sem fertilização confirma o diagnóstico de esterilidade da fêmea.

Alterações ovarianas ou hormonais, tumores e infecções podem impedir a fertilização e determinar a postura de ovos inférteis.

Intoxicações, fraqueza, senilidade e ambiente desfavorável são outros fatores que podem determinar infertilidade.

Alterações obstrutivas do sistema genital feminino impedem o livre acesso dos espermatozóides aos óvulos, comprometendo a fertilização.

O fator idade é importante e merece maiores discussões.

As fêmeas primíparas (que fizeram postura pela primeira vez), costumam apresentar uma quantidade considerável de ovos inférteis, às vezes até 50%.

Esta infertilidade inicial normalmente cessa rapidamente.

Algumas fêmeas adultas frequentemente põem ovos inférteis quando as posturas ficam muito próximas, ou seja, quando a canária coloca enquanto os filhotes da ninhada anterior ainda estão muito novos.

Aparentemente, este fato se deve a alterações nos níveis da hormona prolactina, responsável pelo choco e instinto de alimentar os filhotes pela fêmea, razão pela qual estas canárias quase sempre são mães más.

Fêmeas afastadas dos machos em idade precoce podem não ter experiência bastante para aceita-los.

Embora este fato ocorra com mais frequência entre psitacídeos, pode também ser visto em algumas canárias.

Uma boa opção para despertar a reprodução das fêmeas é coloca-las primeiro na gaiola de reprodução juntamente com o ninho (contrariamente do que a maioria faz), somente introduzindo-se o macho após três dias.

Isto geralmente é um estímulo reprodutivo para elas.

Outro problema relativamente comum entre as fêmeas são aquelas que, a despeito de mostrarem sinais de postura (abdómen inchado, fezes amolecidas e até mesmo aninhamento), não colocam ovo algum.

Estes casos normalmente relacionam-se a problemas funcionais graves, que impedem a produção de óvulos.

São pássaros que raramente voltam a ter um ciclo reprodutivo normal e, a menos que tenham altíssimo valor genético, devem ser sumariamente descartados.

Os poleiros redondos, lisos e de diâmetro inadequado podem ser também a causa de infertilidade, sobretudo para canários de porte grande e de posição.

A incapacidade de uma correta apreensão do poleiro por parte da fêmea faz com que a mesma se sinta insegura e evite o acasalamento.

Por isto, os poleiros devem ser específicos para cada raça.

Alteração dos Machos

A má nutrição ou baixa luminosidade pode tornar os testículos afuncionais, levando à supressão do instinto sexual e dificuldades durante o acasalamento.

Alguns machos podem ser sexualmente indiferentes a certas fêmeas em particular ou a qualquer uma, mostrando-se completamente letárgicos à elas.

Normalmente este é um problema difícil de se resolver e, quando não há má iluminação e/ou nutrição, estes machos devem ser descartados do plantel.

A idade também é um fator importante, desaconselhando-se o uso de pássaros com mais de 3 anos.

Alterações Comuns a Ambos os Sexos

Naturalmente todos nós temos aqueles casais que produzem ovos inférteis.

A frequência destes ovos na primeira postura é relativamente alta, mas se persiste a partir da segunda há algum problema no acasalamento.

As causas deste problema são várias, mas a incompatibilidade entre os membros do casal e a infertilidade do macho parecem ser as mais comuns.

O tipo de pena que a ave apresenta também é um fator importante.

Canários de pena longa têm maior dificuldade de um acasalamento correto e devem ter as penas ao redor da cloaca bem cortadas antes do acasalamento.

Este fator parece afetar mais às fêmeas, embora machos com excesso de penas também tenham dificuldades em cruzar.

Também é necessário verificar com frequência se estas penas da cloaca não estão com fezes grudadas, pois além do evidente problemas sanitário, a fertilização fica comprometida.

Alterações no Desenvovimento do Embrião

Há muitas causas para a morte do embrião dentro do ovo e cada criador certamente já teve estes casos em seu plantel.

A morte do embrião pode ocorrer durante todo o estágio de desenvolvimento, entre a fertilização e o final da incubação.

Entretanto, há duas fases onde esta mortalidade ocorre com mais frequência, entre o 1o. e o 4o. dias finais de incubação.

As causas principais de morte embrionária precoce incluem fatores hereditários (letais), fisiológicos (composição do ovo, retenção dentro da fêmea e alterações no choco), nutricionais (deficiência de vitaminas), infecciosos (contaminação do ovo por certos agentes, principalmente bactérias do género Salmonella) e danos físicos (quebras de casca).

A morte embrionária tardia normalmente decorre de falhas no choco, más condições ambientais (falta de oxigénio ou humidade), mal posicionamento ou deformidade do embrião.

Os problemas de choco são relativamente comuns e podem ser causados por deficiência hormonal (determina perda do instinto de choco), parasitos, unhas muito grandes que danificam o ovo e machos que tentam cruzar com a fêmea em incubação.

Embriões de pais doentes, fracos, velhos ou muito consanguíneos, frequentemente não têm força suficiente para quebrar a casca quando esta está um pouco mais dura que o normal. Nestes casos, a humidificarão dos ovos com água morna costuma apresentar resultados satisfatórios.

Infertelidade e Deficiência Nutricional

Os fatores nutricionais são importantes não só para a fertilidade, como também para a criação dos filhotes.

Qualquer leigo sabe que deficiências nutricionais levam a alterações na reprodução das aves, mas poucos consideram a contrapartida.
Aves que recebem excessos de determinados nutrientes geralmente são completamente estéreis.

Por isto, recomenda-se uma alimentação balanceada, mas sem excessos.

A infertilidade pode naturalmente ser causada por umas deficiências nutricionais, dentre as quais muito se fala das avitaminoses.

As vitaminas são substâncias orgânicas, sintetizadas principalmente pelos vegetais e ingeridas pelos pássaros junto com sua alimentação.

Mesmo as quantidades pequenas, são essenciais para a vida.

Doenças específicas causadas pela falta de deficiência de algumas vitaminas, as avitaminoses, podem determinar disfunções nos níveis de hormonas responsáveis pela reprodução.

As vitaminas também são essenciais para assegurar um desenvolvimento completo do embrião, para impedir sua morte dentro da casca e para garantir um crescimento normal dos jovens.

As avitaminoses podem ser primárias, quando há níveis insuficientes na alimentação, ou secundárias, quando a ave não consegue absorver os nutrientes ingeridos devido a alguma disfunção, geralmente localizada no trato digestivo (por ex.: as diarreias).

Embora sua participação no processo reprodutivo das aves ainda não tenha sido irrefutavelmente comprovada, a vitamina E é tida como essencial a um bom desempenho reprodutivo e muitos criadores suplementam com fontes externas, principalmente gérmen de trigo.

Esta super alimentação perece ser completamente desnecessária, pois a vitamina E está presente em quantidades satisfatórias em todas as sementes oleaginosas, como por exemplo, colza e níger.

Em periquitos australianos, há uma comprovada degeneração dos túbulos testiculares produzida por deficiência de vitamina B.

A Importância da Luz

A luz, especificamente o aumento em sua duração e intensidade, tem um grande efeito no ciclo reprodutivo.

Ela estimula a hipófise a produzir hormonas, dentre os quais aqueles envolvidos no processo de reprodução.

Assim, luz e nutrição são os principais fatores que determinam o sucesso na reprodução dos pássaros.

O ápice da reprodução ocorre sempre naquelas épocas onde há maior luminosidade, ou seja, aproximadamente em Outubro, meados da primavera, onde os dias são mais longos.

Pode-se concluir, portanto, que aumentos artificiais na quantidade diária de luz são estimulantes do processo reprodutivo.

Qualquer acréscimo (ou decréscimo) de luminosidade, entretanto, deve ser feito de maneira gradual. "

Fernando Viana
Revista CPCCF

Sem comentários:

CAMPEÃO NACIONAL de Arlequim Português

Telm: 968 094 048 / e-mail: goncaloferreira.canarios@gmail.com

Últimas dos Bloggers

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...